Business Partner | Qual o seu Papel e Como ele Pode Ajudar o RH?

Tempo de leitura: 17 minutos

Hoje vamos analisar o que é business partner e qual a sua importância para a emrpesa.

Quando o guru da gestão de pessoas, David Ulrich, lançou o livro Human Resource Champions, criando a figura de Business Partner (consultor interno de RH), o autor tinha como objetivo aproximar a área de RH com a área de negócios das organizações.

Em sua perspectiva, as duas áreas deveriam estar alinhadas às necessidades da empresa para mensurar de forma mais eficiente os seus resultados.

Desde então, já se passaram mais de duas décadas e ainda existem muitas dúvidas sobre as atribuições do cargo de Business Partner.

Entretanto, é necessário voltar ao objetivo inicial da interface entre pessoas e negócios para podermos visualizar a importância desta função na gestão de pessoas.

O business partner deve ter conhecimento de grande parte dos processos de gestão de pessoas e amplo e profundo conhecimento do negócio para poder discutir soluções estratégicas para a empresa.

Ele deve agir como um conselheiro do executivo para todos os temas referentes a negócios e pessoas, bem como manter o equilíbrio das relações entre os especialistas das áreas e os executores dos processos, agindo como um facilitador para o bom andamento da dinâmica empresarial.

É o business partner que faz a análise do treinamento correto a ser aplicado quando este é solicitado por um coordenador de área, antes de encaminhar a área de RH.

Sua flexibilidade em transitar entre o RH e as áreas técnicas possibilita verificar falhas nas lideranças e, com isto, propor capacitações, coaching e orientações de forma mais assertiva.

Seu trabalho constante é analisar quando deve usar as políticas já estabelecidas pela organização ou criar uma prática específica para aquela unidade ou aquele cliente interno.

Nesta visão, o business partner tem sido comentado como um dos cargos mais promissores para o RH do presente e do futuro.

Considerando-se que estamos vivenciando uma era extremamente dinâmica no que diz respeito à gestão de pessoas, em que a condução das equipes passa a ter responsabilidade compartilhada com as lideranças e o RH.

O Business Partner torna-se um elemento fundamental para o sucesso nas relações entre empresa e trabalhadores, um parceiro estratégico dos gestores, visto que trabalham diariamente pelo bem-estar dos contratados e os resultados da empresa.

Business Partner RH

Desafios do Business Partner

Ainda de acordo com Ulrich, para ser um bom business partner é preciso superar cinco desafios principais:

Realizar: mais do que desenvolver planos, o business partner deve ser capaz de coloca-los em prática, definindo as ações organizacionais necessárias para que se concretizem.

Gerar satisfação: atender plenamente os diversos públicos de uma organização – investidores, consumidores e funcionários – para gerar um equilíbrio empresarial é função do business partner.

Planejar: promover um planejamento integrado para alinhar o plano de RH ao empresarial também é papel do business partner, buscando sempre resultados que privilegiem o todo.

Prever riscos: mais do que simplesmente mapear fatores de riscos, o business partner deve checar o impacto de ações isoladas na estratégia organizacional de forma geral.

Capacitar: montar uma equipe qualificada para disseminar as estratégicas que serão aplicadas na empresa é essencial para o sucesso do projeto e das ações de um business partner.

Para analisar todos os pontos que permeiam essa questão devemos levar em conta as necessidades específicas da empresa, cultura organizacional e práticas e políticas de RH que estão em vigor, bem como as que serão implantadas no futuro.

Porém, com certeza o Business Partner precisará de um bom sistema de gestão de pessoas que o permita consultar informações com rapidez e gerar análises que sejam disponibilizadas aos gestores da empresa.

Neste sentido a tecnologia pode somar e contribuir para que as tarefas operacionais deixem de ser um empecilho enquanto o foco é voltado para um importante papel de apoio para as lideranças gerirem suas equipes.

E quando o assunto é um sistema de RH, o sistema Join RH da empresa Linked RH é visto como uma forte ferramenta para levar o RH ao papel mais estratégico dentro das organizações, se tornando um parceiro essencial para os resultados dos negócios.

De muitas maneiras. É o business partner, por exemplo, quem faz a análise do treinamento correto a ser aplicado, quando é solicitado por um coordenador, antes de encaminhar o pedido para a área de recursos humanos.

Sua flexibilidade em transitar entre o setor de RH e as áreas técnicas possibilita, ainda, verificar falhas nas lideranças e, com isso, propor capacitações, coachings e orientações de forma mais eficaz.

O trabalho constante do business partner é também analisar em quais situações é necessário usar as políticas já estabelecidas pela companhia ou quando é preciso criar uma prática específica para determinada unidade ou determinado cliente interno.

Habilidades essenciais para um Business Partner

Como o conceito surgiu há três décadas, o papel do business partner passou por algumas mudanças com o decorrer dos anos.

Antes voltada para o meio operacional, a função agora trabalha em um viés mais estratégico dentro da empresa, abrangendo conceitos de sinergia e alta performance.

De fato, para desempenhar com destreza suas atribuições, o profissional deve ser um parceiro estratégico que detém o conhecimento de grande parte dos processos de Gestão de Pessoas.

Além disso, precisa estar profundamente conectado ao negócio. Dessa forma, será possível discutir com clareza as melhores soluções estratégicas para a companhia.

O business partner também faz as vezes de um conselheiro do executivo para todos os temas referentes a negócios e pessoas, além de procurar manter o equilíbrio das relações entre os especialistas das áreas e os executores dos processos.

Nas entrelinhas, ele precisa ser um facilitador, a fim de garantir o bom andamento de toda a dinâmica empresarial. De qualquer maneira, cada companhia deve descobrir qual o perfil de profissional que mais se adapta às necessidades do seu negócio.

Ele pode tanto ser mais generalista, se responsabilizando pelo cumprimento das atividades básicas da área de recursos humanos (como remuneração, treinamento e benefícios), quanto desempenhar o papel de especialista em determinada situação.

O business partner está, realmente, apto a desempenhar qualquer um dos papéis, tanto o generalista quanto o de especialista. E mais: ele sabe identificar exatamente quando cada um desses perfis deve ser acionado.

Por conta disso, o profissional que ocupa tal cargo é considerado um “meio de campo” entre a área de recursos humanos e a de negócios.

E quem melhor se adapta à função é aquele com tino empresarial e organizacional, mas com facilidade para a gestão de talentos e a análise de dados corporativos.

A verdade é que o mercado tem sido bastante exigente com os profissionais que buscam se enquadrar no cargo de business partner.

Importância do Business Partner

A função de business partner é, atualmente, uma das mais bem vistas do mercado e a tendência é que sua importância na área de RH e no mundo dos negócios, em geral, aumente consideravelmente.

Levando em conta que estamos vivenciando uma era extremamente enérgica no que diz respeito à Gestão de Pessoas, em que a condução das equipes passa ser de responsabilidade compartilhada entre lideranças e o departamento de recursos humanos.

Esse profissional torna-se um elemento fundamental para o sucesso na relação entre empresa e trabalhadores.

O business partner desempenha funções estratégicas cada dia mais vitais à sustentabilidade dos negócios. Também por isso, tem um perfil complexo e exigente. No entanto, essa é uma das carreiras mais promissoras do mundo corporativo.

Numa conjuntura em que sinergia é uma palavra-chave nas empresas e nas relações de trabalho, o ocupante desse cargo se firma como um parceiro estratégico dos gestores.

Uma vez que atua de forma consistente em duas importantes frentes: para garantir o bem-estar dos contratados e para alcançar os melhores resultados para o negócio.

Em busca desses benefícios, as novas gerações de líderes de RH têm sido treinadas para ir além das fronteiras do departamento e, assim, conseguir grandes vitórias para o mercado de trabalho e para o mundo dos negócios.

Deste modo, a área de Recursos Humanos passa a ter uma atuação mais estratégica porque pautará suas ações nas estratégias do negócio e terão profissionais atuando diretamente com o capital intelectual, o que gera vantagens competitivas para negócio.

O BP precisa ter uma postura mais efetiva baseada em dados e fatos e pautada nas políticas da empresa sempre tendo cuidado para não assumir papel de tomador de pedido que cede a tudo que gestor solicita, nem tecnocrata que nega tudo.

Além disso, ele também pode ser fundamental para aumentar os ganhos da corporação.

Em 2016, a CEB, consultoria global de benchmarking, fez um levantamento que indicou que as organizações com Business Partners eficientes reportam um aumento de até 10% na receita e um acréscimo médio de 9% no lucro.

E, com o mercado cada vez mais dinâmico, contar com os recursos de um BP contribuirá para o impacto positivo na imagem da empresa e no clima organizacional.

Colaboradores percebem que estão sendo valorizados e podem ser ouvidos por causa da rapidez no feedback, queda de turnover e direcionamento mais eficaz dos investimentos em capacitação das equipes.

Com o tempo, os profissionais de Recursos Humanos com perfis de especialistas, passam a considerar que uma atuação mais estratégica dentro do ambiente corporativo, como os Business Partners, acaba se tornando uma das funções mais promissoras do RH moderno.

Business Partner RH

Benefícios do business partner

 

Dentre os benefícios de se ter um consultor interno na sua organização podemos destacar:

  • Evolução do setor de RH.
  • Otimização dos processos de negócio.
  • Integração entre o RH e os processos do negócio.
  • Melhoria do fluxo de comunicação entre os setores.
  • Melhoria no processo de descoberta de soluções para procedimentos internos.
  • Formação de profissionais flexíveis e generalistas para trabalharem em um ambiente dinâmico.

Podemos perceber, então, que esse cargo pode se tornar um grande aliado do RH ao próprio negócio que deve ter a capacidade de gerenciar a dinâmica das relações entre as equipes e entre a liderança e o RH.

Dessa forma, o Business Partner tem um papel muito importante para o sucesso da ligação entre a empresa e os trabalhadores, atuando como um parceiro estratégico que provê os resultados da empresa e o bem-estar dos colaboradores.

Este consultor interno pode trabalhar de diversas formas, desde técnicas de reconhecimento e retenção de funcionários até a introdução de coaching para membros das equipes.

Desse modo, o Business Partner pode gerar uma maior interação do empregado ao negócio através da motivação e do desenvolvimento dos colaboradores.

Com o objetivo bem simples de unir o departamento de recursos humanos com o restante do negócio, a contratação de um Business Partner pode ser um modelo que agrega muito valor a empresa.

Pelo fato, desse tipo de profissional ser um provedor de soluções internas que torna os processos mais eficazes e que busca olhar a empresa como um todo mirando para os problemas do presente e para os desafios do futuro.

Ainda não é um consenso sobre como deve ser feito a contratação ou escolha desse tipo de consultor. A organização pode tanto optar por uma equipe que realiza essas tarefas como também escolher um único profissional.

Isso dependerá muito da cultura da organização e da experiência do(s) profissional(is) efetivado(s).

Como aplicar o business partner nas empresas

As discussões para a implementação do BP tiveram início em 2015 e levaram nove meses após a superação de diversas etapas. Inicialmente, foram mapeadas boas práticas no mercado.

Os modelos utilizados pela Vale, Banco Itaú e Bosch nortearam os primeiros debates. Segundo a executiva, as dificuldades enfrentadas no decorrer do projeto foram respaldas pelo alto nível de direção da empresa.

O time responsável pelo projeto era formado por sete gerentes das unidades industriais e comercial e o papel de sponsor ficou a cargo do vice-presidente de RH e TI da companhia.

Uma dica repassada pela gerente-geral é de que não é recomendável implantar o processo de BP caso não haja uma área de solução próxima e dando suporte.

O maior ganho com a adoção do conceito de business partner é a constatação do cuidado real com as pessoas.

Existe a percepção de diretores e gerentes de que, a partir de agora, em toda tomada de decisão sobre pessoas, o BP está junto.

Eles reconhecem muito esse novo papel, principalmente para assuntos estratégicos como ser o planejamento sucessório, e os planos de desenvolvimento individuais.

Outros benefícios qualitativos e quantitativos aferidos ao longo do tempo. Para se ter ideia, a mudança trouxe uma economia de R$ 7,2 milhões (cerca de 16% menor) no custo da área na comparação com 2016.

Apenas no primeiro semestre de 2017, a redução de custo já atingiu aproximadamente 14% menor na relação com 2016.

Uma das explicações para esse resultado é a simplificação e padronização de processos. Um exemplo é que, anteriormente, existiam 21 processos para o recrutamento e treinamento de empregados no segmento.

Hoje, são apenas dois (um de treinamento e outro de recrutamento). A centralização da folha de pagamentos é outra estratégia nesse sentido.

O problema mais comum em casos como esse é que, uma vez alocado na sua nova função, esse profissional percebe que suas tarefas entram em choque com as de outros cargos do RH, o que gera confusão e desmandos.

Além disso, é comum encontrar altos cargos executivos com o nome de business partner, mas cuja atuação não é de forma nenhuma a que se esperaria desse profissional.

Ou seja: o papel desse colaborador é difícil de definir e tende a se confundir com outros cargos, num extremo ou no outro do seu campo de atuação.

Importância do RH nas empresas

Desde sua criação, o RH tem sido parte primordial das organizações e tem papel chave em suas conquistas.

É responsável pelas relações internas, pela gestão e recrutamento dos colaboradores, permitindo assim, a alta qualificação do material humano da empresa.

Também está encarregada em assegurar o cumprimento dos direitos e deveres dos funcionários, cuidando das questões trabalhistas.

Dentro de suas atribuições também está o papel de identificar, treinar e manter novos talentos. Criar novos líderes e se desfazer de pessoas que não estejam dentro do padrão de qualificação ou harmonia da empresa.

Além disso, contribui para o engrandecimento profissional dos funcionários, melhorando sua performance, motivação e capacidade de reação a estímulos fortuitos, através de treinamentos, aumentando a eficiência e eficácia dos procedimentos para alcançar os objetivos e metas determinados.

Em suma, o setor de Recursos Humanos tem uma função importante na empresa, fazendo com que o profissional de RH seja um líder sem precedentes com capacidade de desenvolver estratégias, motivar, engajar e guiar os funcionários aos objetivos da organização, tornando-a mais robusta e competitiva.

Estabelecendo as funções

A atividade do business partner requer que ele desempenhe tarefas muito diferentes com naturalidade.

Como planejador, é ele quem sugere ao setor de Recursos Humanos modelos de recrutamento que melhorem o desempenho dos colaboradores, além da captação de talentos para atender às novas necessidades do setor de negócios.

Esse planejamento deve prever riscos. E isso, muitas vezes, envolve técnicas de gestão de negócios que fogem ao seu entendimento já que, como dissemos, o business partner é um generalista.

O olhar para o todo e o cruzamento de informações é o que faz desse profissional ser a ponta da estratégia. Sendo assim, o Business Partner terá uma visão do presente e do futuro, analisando cenários diferentes e prevendo o impacto do capital humano na estratégia traçada para alcançar os objetivos do negócio.

Esses profissionais relatam que, aproximadamente, um terço de seu tempo é gasto trabalhando com dados.

Por fim, ele comanda equipes que colocam seu planejamento em prática e se assegura de que os colaboradores vejam o retorno dessa ação e os gestores de negócios também. E estamos falando de áreas muito diferentes entre si.

O seu trabalho ainda é indefinido e sua capacitação complexa.

Mas é inegável que sua atividade nasce de uma necessidade real que não deve ser negligenciada pelas empresas: a tão procurada integração entre profissionais com formação mais geral e os especialistas.

Se houver entendimento, delegação de responsabilidades e trabalho em equipe entre esses setores, o sucesso da empresa estará garantido.

Perguntas para um Business Partner

  • O que eu preciso de um parceiro de negócios?

Você deve procurar um parceiro de negócios que traga algo diferente à mesa do que você. Se você é criativo, talvez você precise de um parceiro mais orientado para detalhes.

Se você tem dinheiro para investir no negócio, você pode querer procurar um parceiro com acesso a um mercado ou com excelentes conexões. Ou se você é tímido, você pode precisar de uma boa pessoa para equilibrar a equação.

  • Qual é a situação financeira de seu potencial parceiro?

É importante ter uma compreensão do estado financeiro e dos compromissos de alguém antes de entrar em risco, mas os compromissos financeiros anteriores de alguém moldam as decisões que farão no curto prazo.

  • Quais perguntas eles têm para mim?

Se um potencial empregado não faz perguntas em uma entrevista de emprego, talvez seja menos provável contratar por causa de uma falta de interesse percebida.

O mesmo se aplica a um potencial parceiro comercial, que deve querer saber sobre seu caráter, confiabilidade e expectativas.

Estas são algumas perguntas que podem ser feitas a um possível business partner antes de fechar qualquer tipo de negociação porque uma parceria comercial geralmente começa com entusiasmo e expectativas elevadas, apenas para acabar em processos legais.

É importante conhecer o máximo possível sobre um parceiro potencial, incluindo como suas finanças e sua vida familiar podem afetar o negócio, antes de assinar na linha pontilhada.

>> Clique Aqui e conheça o Software RH Gratuitamente <<

5 (100%) 10 votes

Os comentários foram encerrados, mas trackbacks e pingbacks estão abertos.